Buscar
  • Da Redação

Como manter o bem-estar na pandemia


Depois de um ano, nosso país ainda se encontra no auge da transmissão e isso é absolutamente triste e preocupante. Parece até que não faz sentido falar em bem-estar nesse momento e às vezes a única coisa possível a se fazer é seguir adiante da maneira em que estamos.

Para quem perdeu pessoas, isso é ainda mais difícil e o acompanhamento com um profissional pode ser ainda mais necessário.

Para outras pessoas, no entanto, faz sentido continuar pensando em elementos que possam servir de recursos para continuar se cuidando e viver essa situação de forma menos ruim.

É bom lembrar de que já não é possível se manter bem e feliz o tempo todo em tempos "não-pândemicos", quanto mais agora. Momentos de tristeza e ansiedade podem ocorrer muito mais e isso é absolutamente normal.

Levando isso em consideração, seguem algumas sugestões de boa práticas que podem servir como um bom suporte em tempos difíceis.

  • Fazer um diário registrando coisas boas que aconteceram.

Mesmo no meio do caos, é possível encontrar pequenos prazeres no dia a dia. Lembrar-se deles é importante para trazer mais leveza para os dias.

Você pode tentar fazendo um:

Diário da gratidão

Uma prática estimulada pela Psicologia Positiva (tem estuda amplamente os efeitos da gratidão*), é criar um diário em que você vai escrever no final do dia 3 coisas pelas quais você é a grato e o motivo de cada uma delas.

Resumo do mês

Para prefere uma prática mais espaçada, você pode fazer uma vez por mês uma lista com coisas boas que aconteceram na sua vida, mesmo que sejam pequenas e sejam significantes só para você. Como por exemplo, se você conseguiu aumentar seu consumo de água ou passar 10 minutos a mais por dia brincando com seus filhos. Não precisa ser grande, só precisa ser bom.

  • Ter momentos de lazer

Essencial para recarregar as energias. Mesmo dentro de casa há coisas que podem serem feitas como jogos, filmes, danças no meio da sala. Todo mundo precisa de um tempo para se desligar e se divertir.

  • Manter o contato social, ainda que precise ser via chamada de vídeo, com amigos e familiares

Acho que todo mundo já tá acostumado com isso, mas não custa lembrar, afinal é fácil se envolver na rotina e se afastar das pessoas.

  • Ter momentos para se desligar das redes

Com menos possibilidades de coisas para se distrair a gente fica cada vez mais na frente das telas. É bom separar um tempo para ficar off-line.

  • Ser compassivo e gentil consigo quando bater os momentos ruins.

É normal a gente acreditar que precisa ser produtivo por, talvez, ter mais tempo agora, mas quero lembrar que se cobrar não ajuda a manter as coisas bem. Se respeite e se trate como trataria um amigo.

  • Planejar coisas que não dependam do fim da pandemia.

Fazer planos dá a sensação de movimento e, se por um lado muitas coisas precisaram ser interrompidas, por outro, tem um tanto de coisa que depende de nós e está sob nosso controle. Planeje. Planeje algum conserto na casa, mudança nos móveis, aulas e cursos, ou mesmo ideias para serem executadas a longo prazo, se isso te fizer. A questão é que ainda é possível fazer movimentos, mesmo que outras coisas tenham precisado parar.

  • Viver os momentos de tristeza quando eles surgirem.

Essa questão se conecta com a prática da auto gentileza. Sentimentos precisam ser sentidos e abafá-los podem torná-los maiores. Sinta, acolha e deixe passar.

Espero que essas ideias te ajudem, mesmo que seja apenas uma delas. E não se esqueça, você sempre pode contar com um psicólogo para te ajudar.


Tailane Sifuentes - Atende em nossa Clínica

Psicóloga CRP 06/132433

tailanesifuentes.com.br

5 visualizações0 comentário