Buscar
  • Da Redação

Você sabe o que são alimentos transgênicos?



Você sabe qual é o significado do "T" amarelo presente em embalagens de alimentos? Esse símbolo aponta que os alimentos são transgênicos, ou seja, aqueles que são modificados geneticamente com a alteração do código genético (DNA) e produzidos em laboratório por meio de técnicas artificiais de engenharia genética.

Todo organismo que, através de técnicas de engenharia genética, contém materiais genéticos de outros organismos é denominado transgênico. A transgenia, a geração de transgênicos, visa criar organismos com características novas ou melhoradas relativamente ao organismo original: por meio da manipulação genética, combinam-se características de um ou mais organismos de uma forma que provavelmente não aconteceria na natureza, podendo ser combinados, por exemplo, os DNAs de organismos que não se cruzariam por métodos naturais.

Alimentos transgênicos são aqueles provenientes de organismos que passaram por melhorias genéticas com o objetivo de conferi-los algum benefício, seja nutricional ou agronômico. Os benefícios agregados aos alimentos transgênicos podem ser vários, dependendo do objetivo do seu desenvolvimento. Esse tipo de melhoramento genético pode gerar plantas mais nutritivas, mais resistentes a pragas e doenças ou tolerantes a defensivos e a estresses ambientais, como plantas tolerantes à seca, por exemplo.

Entre os principais transgênicos cultivados no país estão a soja e o milho, que são usados como ração para aves, gado e suínos e também amplamente utilizados nos produtos ultraprocessados para consumo humano como salsicha, bolachas, biscoitos, bolos e salgadinhos de pacote, entre outros.

Há os defensores dos transgênicos, mas é importante ressaltar que há riscos para a saúde, como o aumento de alergias, aumento de resistência aos antibióticos, aumento das substâncias tóxicas e maior quantidade de resíduos de agrotóxicos.

Todos os consumidores têm o direito de saber o conteúdo do produto que está consumindo e as consequências disso, incluindo as técnicas empregadas para a melhoria daquele alimento. Desde 2016, foi determinado que todos os alimentos transgênicos precisam ser rotulados, essa decisão foi tomada pelo Tribunal Regional Federal 1 (TRF-1) em atendimento a um pedido do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) de rotulagem de alimentos (Decreto 4680/03), obrigando empresas da área da alimentação, produtores e vendedores, a identificarem, com um “T” preto, sobre um triangulo amarelo, o alimento com mais de 1% de matéria-prima transgênica.



Monica Kinoch CRN - 3672/19

É Nutricionista formada pela Unimax, cursando especialização em Obesidade e Emagrecimento, e participou de congressos de nutrição no tratamento do câncer, além de publicação de artigos nessa área. Atendimento clínico voltado para a nutrição comportamental, trabalhando o emagrecimento, reeducação alimentar e acompanhamento nutricional em doenças crônicas.

5 visualizações