Buscar
  • Da Redação

Cortisol: você sabe o necessário sobre ele?



Por Mônica Kinoch

A palavra parece despertar “medo” nas pessoas, como se somente houve malefícios nesse hormônio, mas fica a dúvida: se não houvesse benefícios, por que nosso organismo o produziria?

Vamos do início, cortisol é um hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais, que estão localizadas acima dos rins (ou seja, nosso corpo o produz naturalmente). A função do cortisol é ajudar o organismo a controlar o estresse, reduzir inflamações, contribuir com o sistema imunológico, manter os níveis de açúcar no sangue constantes, assim como a pressão arterial (aqui identificamos seus benefícios e entendemos o motivo que nosso corpo o produz).

Importante ressaltar que o cortisol segue um ritmo circadiano, ou seja, nível mais alto pela manhã declina ao longo do dia, e muito baixo na hora de dormir. O problema está em manter o equilibrio, uma vez que não pode estar nem muito alto e nem muito baixo, deve ser na medida certa conforme o circadiano.

O cortisol é comumente relacionado ao ganho de peso, uma vez que o estresse aumenta a produção desse hormônio no sangue, e uma das consequencias é o desejo por ingestão de comidas açucaradas e gordurosas, logo, contribuindo para o ganho de peso desenfreado.

O excesso desse hormônio, além do aumento de peso, pode também causar outras complicações, como aumenta o risco de diabetes, hipertensão arterial, depressão, aumento de gordura abdominal e perda da massa magra.

Os sintomas que o cortisol está sempre elevado:

· Complicações crônicas: hipertensão arterial, diabetes tipo 2 e osteoporose;

· Ganho de peso: o cortisol aumenta o apetite e modifica o metabolismo;

· Cansaço: interferindo na ação de outros hormônios, alterando o padrão de sono e causando fadiga;

· Mudanças emocionais: ira, irritabilidade, depressão e ansiedade;

· Envelhecimento precoce;

· Musculatura fraca;

· Redução do desejo sexual;

· Função cerebral comprometida: interferindo na memória, contribuindo para confusões mentais.

· Infecções: prejudicando o sistema imunológico, aumento o risco de infecções.

· Raro: pode levar a Síndorme de Cushing.

Importante aqui ressaltar a importância de sempre ser acompanhado por um médico para o diagnóstico preciso.

Uma das dicas para se manter controlado os níveis de cortisol, é manter-se bem hidratado, além de consumir carboidratos e proteínas de boa qualidade.

Outra dica bastante útil para manter o controle do cortisol é:

Realizar caminhada por prazer;

· Ter um bom sono;

· Cochilos durante o dia;

· Massagens relaxantes no corpo;

· Praticar a terapia do riso;

· Utilizar sauna, banhos quentes e terapias de spa.

A nutrição é muito importante nessa manutenção dos níveis de cortisol, abaixo segue alguns alimentos para auxilio nesse processo:

· Fenilalanina: precursora da dopamina, envolvido no sentimento de “bem estar”, diminuindo o estresse e a vontade de ingerir alimentos gordurosos e açucarados.

o Fonte: frango, ovos, arroz integral, brócolis, abóbora, couve, agrião e alcachofra.

· Triptofano: precursor da serotonina, também envolvido no sentimento de “bem estar”, diminuindo o estresse e o cortisol.

o Fonte: arroz integral, carne, ovos, leite, castanhas e banana.

· Diminuir cafeína: pois ela estimula o aumento do cortisol.

o Fonte: café, chá mate, chá preto, refrigerantes a base de cola, chocolates.

· Vitamina B5: cofator para a produção de serotonina (sentimento de “bem estar”) e controle do cortisol.

o Fonte: damasco, amêndoa, leite, salmão, gérmen de trigo e farinha de aveia.

· Evitar grandes intervalos entre as refeições: jejum prolongado é um tipo de “estresse” para o organismo e pode aumentar o cortisol.

· Diminuir o consumo de alcool: pois estressam o organismo e como consequencia aumenta o cortisol circulante.

· Pare de fumar: também geram estresse no organismo e aumentam o cortisol.

· Pratique exercícios: diminuem o estresse e naturalmente diminuem o cortisol no sangue.

Essas são algumas dicas para que possa melhor conhecer sobre esse hormônio e não ficar com medo dele, e sim se atentar com sua manutenção no organismo.



Monica Cristina da Silva Kinoch CRN - 3672/19

Nutricionista formada pela Unimax, cursando especialização em Obesidade e Emagrecimento, e participou de congressos de nutrição no tratamento do câncer, além de publicação de artigos nessa área. Atendimento clínico voltado para a nutrição comportamental, trabalhando o emagrecimento, reeducação alimentar e acompanhamento nutricional em doenças crônicas.

15 visualizações