Buscar
  • Da Redação

Liberdades aos talheres e aumento à saciedade!



Por Renata Simões

Já parou pra pensar como comemos rápido? Certa vez alguém me disse que gostaria de ter uma boca na região do estomago, isto mesmo, bem na região peitoral ou um pouco abaixo disto, assim, justificou ele, “seria mais rápido, era só encostar-se à mesa e empurrar os alimentos pra dentro”. Nossa!!! Mas e o prazer e a saciedade onde ficariam?!?!

Quando começamos a nos alimentar precisamos de um tempo para nos sentirmos satisfeitos “fisiologicamente falando”, a partir da primeira garfada ou colherada, nosso sistema começa a secretar alguns hormônios que modularão nossa saciedade, isto pode durar em média 20 minutos. Então, pare agora e pense ... quanto tempo você gastou em sua última refeição? Qual foi seu grau de saciedade após finalizá-la? Garanto que a grande maioria das pessoas leva no máximo e, isto aqueles que são bem vagarosos, por volta de uns 10 minutos... e daí? E os outros 10, o que fazemos? A resposta é obvia: ficamos insatisfeitos e pensando e uma enorme sobremesa para preencher este vazio...

Uma estratégia fácil é libertar os talheres, sim... soltá-los de nossas mãos enquanto estamos fazendo uma refeição, garanto que seu coleguinha ao lado não irá roubá-los de você e vale salientar que os talheres não ganharão vida própria como em A Bela e a Fera e não sairão bailando sobre a mesa.

O exercício é simples, a cada garfada ou colherada, colocamos os talheres repousando ao prato, assim você terá oportunidade de promover mais tempo para mastigar mais os alimentos em sua boca, sem o desespero de “socar” mais uma garfada pra dentro em uma sequencia frenética, como se estivesse em uma competição pra ver quem come mais rápido.

E quando este maravilhoso alimento estiver em sua boca, mastigue-o fazendo com que ele permeie toda sua língua, ativando todas suas papilas gustativas, sinta agora em qual parte da sua língua você está percebendo a presença dele, é na frente? Nas laterais? No final da língua, cada cantinho tem o poder de evidenciar um sabor. Na frente sentimos o doce, nas laterais o salgado e o ácido e no final da língua o amargo. Depois tente perceber até qual momento você ainda consegue sentir o alimento já bem mastigado, será até o final da língua? Será que sentirá ele até a garganta no comecinho da deglutição? Em que momento este alimento não é mais percebido pelo nosso paladar? E depois, qual sabor ficou em minha boca, é bom? É ruim? Quero mais uma colherada? Será que precisarei mesmo acabar com toda comida que há em meu prato?

Este exercício fará com que você, inicie o processo de comer de maneira mais consciente, isto fará com que você obtenha mais saciedade com menos quantidade. E também desfrutará mais o alimento escolhido, e com mais prazer e saciedade ficamos mais felizes e saudáveis, vivendo no momento presente... que, como dizem, é onde tudo acontece, não é mesmo?!

Gratidão


RENATA SIMÕES é nutricionista e pós-graduanda em fitoterapia funcional, trabalha há 14 anos com atendimento em grupos, visando mudanças comportamentais relacionadas a alimentação. Atenda na Clínica Equiphe


39 visualizações